Now loading... / Carregando...

menu

802-701-9763

[email protected]

Blog Article

Memsource para tradutores iniciantes

posted in Migrar, Pérolas da Metáfrase, Tradução by

Republicação do texto da Ana Azevedo para o número 1 da revista Metáfrase, de setembro de 2016.

 


 

Assim como a maioria dos tradutores e estudantes de tradução que conheço, minha carreira como tradutora iniciou na ausência completa de CAT tools. Dos trabalhos da disciplina de Tradução da faculdade aos meus primeiros pequenos serviços, todos – até mesmo os mais técnicos – eram feitos utilizando a velha tática das duas janelas do Microsoft Word ou semelhante, abertas lado a lado, uma para o idioma de entrada e outra para o de saída.

 

As CATs surgiram na minha vida durante o meu primeiro estágio e revolucionaram o processo de tradução que eu havia aprendido e praticado durante todo o curso. Tornei-me cliente do Memsource em 2012, quando o “S” do nome ainda era escrito em letra maiúscula. Embora já tenha testado outras ferramentas, me adaptei muito melhor ao Mem do que a qualquer outra. No entanto, alguns colegas de profissão, muito apegados a ferramentas mais antigas (ou que abominam o uso de CATs em geral), questionam minha preferência pelo Memsource, justificando-a pelo fato de eu ser jovem e iniciante na área. Embora esse argumento contrarie a realidade de muitos usuários e agências de tradução que, mesmo depois de 20 anos de profissão, optaram por migrar para o Mem, a declaração desses colegas me fez pensar: será que existe de fato um motivo para o Memsource ser tão popular entre os tradutores iniciantes que conheço? Se sim, qual seria esse motivo?

 

Essa indagação deu origem à resenha abaixo. Muito mais do que uma resposta para as dúvidas iniciais, busquei enfatizar os pontos que me chamaram a atenção no Memsource, para instigar tradutores iniciantes a experimentarem a ferramenta e descobrirem que ela pode se tornar a sua CAT tool preferida também.

 

O QUE É?

 

O Memsource é uma ferramenta de tradução assistida por computador (CAT tool), como o MemoQ, SDL Trados ou OmegaT. Como todas as CATs, o Mem conta com diversas funcionalidades que servem para agilizar o processo de tradução, sem comprometer a qualidade do texto final. Diferente de outras CATs, o Memsource inovou no mercado ao apresentar um ambiente completamente on-line, em nuvem, o Memsource Cloud. Nele, estão armazenados todos os itens dos projetos: textos, traduções, memórias de tradução, ambiente de gerenciamento de projeto, tudo. Essa novidade está bastante alinhada com as necessidades atuais de integração virtual.

 

Ao contrário das CATs mais antigas, que exigiam que o tradutor concentrasse seus recursos e textos no idioma de entrada e saída em uma máquina específica, o Memsource possibilita manter todos os arquivos sempre na nuvem. Ou seja, você pode traduzir em qualquer lugar, com todos os seus recursos sempre à mão. O usuário poderá baixar o Editor em sua máquina ou utilizar o Web Editor, acessível por meio do ambiente Cloud.

 

Privacidade e segurança

 

Todos os dados da sua conta do Memsource são protegidos e toda a comunicação é criptografada. No entanto, leia as regras de uso do mecanismo de tradução automática (MT) Microsoft with Feedback antes de configurá-lo para um projeto que requeira confidencialidade.

 

ENTENDENDO AS FUNCIONALIDADES

 

Memsource Editor

 

É o software que você baixa para utilizar na sua máquina. Para que suas entradas sejam inseridas na TM e TB do seu projeto, você deverá estar conectado à internet. No entanto, você pode trabalhar no Editor, mesmo off-line, pois a ferramenta funciona em modo satélite.

 

Memsource Cloud

 

É a página principal de gerenciamento de trabalhos e funcionalidades. É na Cloud que você ajusta configurações de conta, cria projetos, atribui os gerentes e linguistas deles, configura os idiomas de entrada e saída e, é claro, carrega os arquivos de texto para traduzir no Editor.

 

TM (Translation Memory ou memória de tradução)

 

A TM armazena toda a tradução confirmada; assim, toda vez que uma frase ou palavra já traduzida aparecer novamente ao longo do texto, o Memsource sugere a tradução previamente utilizada, facilitando a checagem da consistência do texto traduzido.

 

TB (Term Base ou glossário)

 

Com a TB, você pode criar uma base terminológica e atribuí-la ao seu projeto, mantendo, assim, a consistência dos termos. Cada termo deve ser inserido individualmente na TB. O resultado é um glossário específico que, assim como a TM, uma vez criado, pode ser atribuído a quantos projetos você quiser.

 

MT (Machine Translation ou tradução automática)

 

Você pode habilitar o mecanismo para que os segmentos sejam traduzidos automaticamente pelo Microsoft with Feedback. Alguns tradutores se opõem à utilização de MT, dizendo que ela mais atrapalha do que ajuda. Porém, o desenvolvimento dessa tecnologia se torna atraente à medida que tradutores são estimulados a produzir cada vez mais em cada vez menos tempo. Portanto, em certos projetos, a utilização da MT, aliada a uma boa pós-edição (“revisão”), pode potencializar a agilidade, sem prejudicar a qualidade do texto final (a pós-edição deve ser feita criteriosa e cuidadosamente). Outro cuidado que você deve ter ao utilizar a MT é quanto à confidencialidade do conteúdo do projeto, pois cada segmento confirmado em sua tradução passará a fazer parte de uma base de dados, que serve para alimentar a MT e “ensiná-la” a oferecer melhores resultados. Embora essa inteligência seja revolucionária em alguns aspectos, pode ser prejudicial para o projeto, pois, caso o material seja confidencial, não é interessante que ele faça parte dessa base de dados, podendo prejudicar o seu relacionamento com o cliente. Por via das dúvidas, portanto, antes de utilizar a MT em um projeto, verifique a cláusula de confidencialidade com o seu cliente.

 

QA (Quality Assurance ou garantia de qualidade)

 

Ao terminar sua tradução, utilize a QA para rodar uma série de testes que checarão a consistência do texto produzido. É essencial em textos que contenham números ou termos específicos (salvos na TB), pois a QA reconhecerá e alertará para as inevitáveis inconsistências.

 

Comentários

 

Ao traduzirmos um texto, é comum encontrar algumas “pedras no caminho”, sejam elas dúvidas relativas à interpretação ou terminologia, ou simplesmente frases truncadas que precisam ser lidas diversas vezes (ou até mesmo reescritas no idioma de origem). Para quem prefere pular essas “pedras” e retomá-las ao final da primeira tradução, os Comentários podem ser muito úteis. Ao inserir um comentário com a indagação e pular para o próximo segmento, você agiliza o processo, e não corre o risco de esquecer a dúvida. Em trabalhos que envolvam outros linguistas ou um gerente, os Comentários facilitam a comunicação entre colaboradores.

 

Gerenciamento de projetos

 

Mesmo que você esteja trabalhando sozinho(a) em um projeto seu, as funcionalidades do sistema de gerenciamento servem para organizar o processo de trabalho, uma vez que é por meio dessa ferramenta que você organizará todos os arquivos para tradução. É o(a) gerente do projeto – ou Project Manager (PM) – que configura os idiomas de entrada e de saída, a data de entrega e os linguistas encarregados (caso você esteja trabalhando com outros colaboradores), entre outras coisas. Na versão gratuita, tradutores não atuam como gerentes de projeto, ao passo que, nas versões pagas, freelancers podem configurar um gerente para cada projeto.

 

Formatos

 

O Mem é compatível com diversos formatos, até mesmo alguns vindos de outras CATs. É possível incluir vários tipos de arquivos e trabalhar no Memsource tranquilamente. A lista de formatos compatíveis pode ser encontrada na Memsource Wiki.

 

Suporte

 

Talvez esse seja o meu “diferencial” preferido. Aprender a operar um software novo é sempre complexo e a equipe do Memsource parece entender isso, pois oferece três canais de ajuda: a Memsource Wiki, que explica tudo o que você precisa saber sobre o funcionamento da ferramenta, além de oferecer um manual do usuário; o Memsource Community Support, uma espécie de fórum que reúne dúvidas de todos os usuários e que também permite que você faça perguntas; e o próprio suporte do Memsource, por e-mail, que costuma ser muito rápido, solícito e eficiente.

 

Fluxo de trabalho básico

Quando você abre o editor, o texto aparece separado em duas colunas (idioma de origem, source, e idioma de destino, target) e em várias linhas, os segmentos. O editor possibilita que você visualize (na barra inferior, em ambos os editores) a quantidade de segmentos, palavras e caracteres, facilitando o cálculo do tempo que você levará para traduzir o texto e do valor do serviço.

 

Os campos inferiores da barra no lado esquerdo apresentam quatro funcionalidades:

 

  • CAT: fornece opções de tradução.
  • Search: busca alguma palavra ou parte de texto do idioma de origem nas TMs associadas ao projeto.
  • QA: como explicado acima, ao terminar a tradução, utilize essa função para assegurar a consistência do texto.
  • Changes: mostra as mudanças feitas ao longo do processo.

 

Ao terminar de traduzir um segmento, confirme-o. Pronto: se você estiver conectado à internet, o segmento será salvo na TM do projeto e aparecerá sempre que você encontrar um segmento semelhante, pois servirá de exemplo para “ensinar” a ferramenta a oferecer sugestões de tradução cada vez melhores. Quando você se deparar com um termo específico, insira-o na TB para criar um glossário para o texto ou projeto, garantindo uniformidade ao longo deste.

 

Quando confirmar o último segmento restante, execute a QA, revise, baixe o arquivo pronto e revise de novo: nenhuma tradução estará pronta sem revisão, seja ela feita por você ou, de preferência, por outro colaborador do projeto. Por mais que você acredite que o texto esteja pronto – ou que você queira muito acreditar que sim, pois já está cansado(a) de mexer no mesmo texto e quer se despedir logo dele! –, sempre duvide, sempre pesquise e, no fim, sempre revise.

 

Conclusão

 

Em suma, acredito que o Memsource seja capaz de cativar várias gerações de profissionais, mas que possa atrair principalmente a nova geração de tradutores, que, provavelmente, já entram na profissão mais inclinados a experimentar CATs em seus primeiros trabalhos. Dentre as características que mais capturam a atenção do iniciante, penso que estas sejam as principais:

 

  • Rapidez. Não importa se você está trabalhando no Editor (versão desktop) ou no Web Editor (versão no navegador), a rapidez com que os comandos são inseridos é instantânea.

 

  • Interface amigável. O Memsource é extremamente user-friendly, e esse conceito se traduz no visual clean e intuitivo da ferramenta, que afasta distrações e estimula o foco no trabalho.

 

  • Funcionalidades. Ser clean não é sinônimo de ser básico: como comprovado, o Mem tem tantas funcionalidades quanto as CATs concorrentes, e está constantemente apresentando melhorias em novas versões.

 

  • Ambiente em nuvem. Por ter um ambiente completamente virtual e integrado, o Memsource potencializa o processo de trabalho de tradutores freelancers que cooperam com empresas de tradução, mas que estão baseados longe dos outros colaboradores (ou que trabalham em home office). Isso significa menos confusão e possíveis perdas causadas por e-mails perdidos, anexos esquecidos, pendrives corrompidos e dezenas de situações parecidas, bastante comuns entre colaboradores baseados na mesma sede, trabalhando em suas máquinas off-line.

 

  • Opção gratuita. Se você quiser descobrir como uma CAT funciona antes de se comprometer com os altos custos de uma licença, a versão gratuita (e sem prazo de validade) do Memsource é a opção ideal. É claro, existem limitações que a diferenciam das versões pagas; ainda assim, considero melhor do que uma versão trial de outras CATs, que dura apenas 30 dias.

 

Desejo uma boa experiência, e seja bem-vindo(a) à profissão!


Quer contribuir para o blog? Envie-nos um e-mail para [email protected]

12 jun, 21